A cor é para todos

Existem as ideias geniais, depois existem aquelas ideias com a capacidade de mudar o mundo, tornando-o um lugar mais inclusivo, como é o caso do ColorADD. Quem trabalha diariamente numa qualquer área de afinidade da criatividade, reconhecerá facilmente a importância da cor enquanto ferramenta de comunicação.

A cor, para além de um elemento visual essencial, tem a propriedade de transmitir muito mais que uma informação cromática de cariz funcional. É também através da cor que sentimos. Aliás, a cor tem igualmente essa propriedade essencial de ser veículo para a transmissão de emoções. É muito comum, muitas vezes sem conseguirmos explicar bem porquê, atribuir determinados sentimentos a cores muito específicas. Esse é o poder da cor na relação com a pessoa. Comunicar por um lado uma determinada informação cromática, mas também ser veículo genuíno para o envolvimento das emoções.

Daltonismo

Contudo, nem todas as pessoas têm a capacidade de perceber a cor da mesma forma. Por incrível que possa parecer ou até mesmo, difícil de imaginar, existem pessoas, maioritariamente homens, que não conseguem compreender e interpretar as diferentes cores. A este tipo de impossibilidade, dá-se o nome de daltonismo.

O daltonismo ou por outras palavras, a deficiência da visão das cores, caracteriza-se essencialmente pela incapacidade da pessoa na compreensão de algumas cores específicas. É uma deficiência de origem genética, relacionada ao cromossomo X. Comumente chamada de daltonismo, a designação desta deficiência tem origem no nome do cientista inglês John Dalton (também ele daltónico), o primeiro a descrever esta patologia ainda no século XVIII.

Ao contrário do que possa pensar o senso-comum, o daltonismo tem uma grande expressão na população mundial. Muitos estudos da comunidade cientifica, indicam de forma bastante clara não só a taxa da população afetada, mas também, muitos dos problemas que estas pessoas enfrentam nas tarefas mais corriqueiras do dia-a-dia.

  • 350 milhões (10% da população masculina mundial) possui algum tipo de daltonismo.
  • 37% dos daltónicos não sabem que tipo de daltonismo têm.
  • 59% identificam apenas algumas cores.
  • 42% acham difícil ser totalmente integrado socialmente.
  • 90% pedem ajuda sempre que precisa de comprar roupa.

Mesmo sendo uma deficiência difícil de detectar em muitos casos, ela condiciona em grande medida aquilo que é o dia-a-dia da pessoa. O maior desafio do daltonismo prende-se com as tarefas mais simples do quotidiano, onde a cor tem um papel preponderante. Utilizar determinados sistemas informáticos, ir às compras, escolher um lápis de cor, perceber a pulseira de prioridade no hospital, combinar peças de roupa, entre muitas outras tarefas, são tudo ações com uma dificuldade acrescida para qualquer pessoa daltónica.

Ilustração do círculo de cores do ColorADD

ColorADD

Tendo este problema em mente e também com o objetivo de ajudar a melhorar a qualidade de vida de todas as pessoas com daltonismo, em 2010 o designer português Miguel Neiva, criou o ColorADD. O ColorADD é um sistema de identificação das cores, premiado com a Medalha de Ouro da Comemoração da Declaração Universal dos Direitos do Homem, atribuída pela Assembleia da República Portuguesa. É uma ferramenta que procura garantir a plena integração de qualquer pessoa daltónica sempre que a cor seja fator determinante de identificação, orientação ou escolha na comunicação.

O ColorADD é consubstanciado através de um código iconográfico representativo das várias cores. Desenvolvido com base nas 3 cores primárias, representadas através de símbolos gráficos, o código permite, através do conceito da “adição de cores”, relacionar os símbolos e facilmente identificar toda a paleta cromática. O ColorADD na sua expressão, integra ainda as cores branca e preta, que surgem igualmente com a missão de orientar as diferentes cores para as tonalidades mais claras ou escuras. O código afirma-se também com a sua utilização, enquanto um “jogo mental” simples, fácil de memorizar e aplicar em situações do dia-a-dia.

Ilustração da paleta cromática de 21 cores do ColorADD

Aplicações

Atualmente este sistema universal que é o ColorADD é utilizado por um número bastante considerável de produtos e serviços. São já muitas as marcas que reconhecem o valor do sistema. Através da sua integração, melhoram bastante a inclusão de pessoas com este tipo de deficiência na utilização dos seus produtos ou serviços.

Marcas de calçado, roupa, jogos didáticos, serviços de saúde, serviços públicos de atendimento ao cidadão, peças de merchandising, objetos para o espaço público, sinaléticas, as aplicações práticas do ColorADD são quase infinitas. Também nesta aplicação do código a peças reais do dia-a-dia, a criatividade dá um contributo de inestimável valor. Por conseguinte, é muito interessante, ver a criatividade das marcas a aplicar este código visual e universal à sua realidade e oferta para o consumidor.

Aberto a todos

O código pode ser utilizado por qualquer marca nacional ou internacional nos seus produtos ou serviços. Para isso, basta que seja adquirida uma licença de utilização. A licença é ajustada à dimensão (volume de negócios) de cada empresa, assegurando assim um custo acessível e justo para todos. Ao licenciar o código, cada marca está a contribuir para o projeto ColorADD Social, que tem como missão evitar a exclusão social precoce de daltónicos no percurso escolar. Se pretender obter mais informação sobre o processo de licenciamento ou qualquer ou tema relacionado com o sistema, poderá contactar a equipa do ColorADD.

Fotografia © Markus Spiske