A tecnologia, os design systems e a Hi Interactive

Fotografia de um teclado e uma mesa de desenho alusiva ao conceito de design systems

Desde quase os seus primórdios, ou melhor dizendo a altura em que começaram a ganhar maior notoriedade, que os design systems têm ao seu redor uma discussão metafísica de quem são dentro das organizações, os seus “donos”. Dependente dos contextos em que lançarmos a discussão, vemos muitas vezes equipas diferentes a assumirem, ou a quererem assumir, o ownership dos design systems. Dependente das equipas e da sua cultura de colaboração, esta discussão pode ser mais ou menos acessa o que no final do dia pode também não ser muito interessante para o fortalecimento de um verdadeiro espírito de equipa.

A par desta discussão, acresce ainda um pequeno grande detalhe que pode baralhar ainda mais esta conversa. Design systems tem exactamente no nome, a designação de uma das equipas que o devem construir, “Design”. A inclusão da palavra “design” no nome pode em alguns casos servir de argumento para quem deve ter o “comando” do sistema. Mas, a verdade é que conhecendo bem a proposta de colaboração e transformação que está no espírito dos design systems, este argumento cai rapidamente por terra. Sejamos claros para que não restem nenhuma dúvidas. Design systems pressupõe, de alguma forma a colaboração muito profunda entre a equipa de design e a equipa de development.

É quase impossível, se não mesmo absolutamente impossível que se consiga construir um design system no verdadeiro e mais amplo sentido, sem o trabalho profundo e de responsabilidades partilhadas destas duas equipas. E é precisamente sobre colaboração e tecnologia que nos vêem falar os próximos convidados das conversa “Design systems tratados por tu”, o David Marques (Frontend Lead) e o Maurílio Sousa (Frontend Developer) da Hi Interactive.

Cartaz de promoção da conversa design systems tratados por tu de dia 26 de maio de 2022

Décima terceira sessão será com a Hi Interactive

Se existe equipa que representa bem o equilíbrio que o design e o development podem ter e a proposta de valor que ambas podem e devem trazer ao negócio das empresas, essa equipa é sem sombra de dúvidas a da Hi Interactive. Quando olhamos ao trabalho da Hi Interactive difícil dizer o nasceu primeiro. Se por um lado o cuidado pela experiência como um todo e o interface no mais ínfimo detalhe ou se por outro, o impacto que a tecnologia e as suas potencialidades podem ter na criação de experiências digitais incríveis através de métodos ágeis.

Se contextos existem em que os design systems fazem todo o sentido, na Hi isso é ainda mais verdade. Assumindo-se como especialista numa tecnologia específica, a OutSystems, a Hi Interactive conhece bem as potencialidades da ferramenta que utiliza, não como um espaço de constrangimentos, mas que através do design explora as potencialidades até ao limite. Uma abordagem que tem no seu âmago uma lógica atómica de design systems e que serve de ponte entre a equipa de design e development.

Fotografia © Georgie Cobbs