Equilibrar a vida familiar e profissional em teletrabalho

Se disserem que o teletrabalho foi um dos termos que entrou definitivamente no dia-a-dia de milhares, se não de milhões de pessoas, não será grande novidade. Mesmo não sendo em si uma grande novidade, porque em muitas empresas nacionais e internacionais, já era uma prática bastante recorrente, os últimos meses representaram, a par de muitas outras coisas, também a descoberta do teletrabalho para uma grande generalidade de pessoas e empresas.

Mesmo existindo hoje, ritmos muito diferentes de adopção, o teletrabalho deixou de ser algo exclusivo para determinados nichos, para passar a ser um termo muito recorrente numa série de áreas diferentes, alvo de bastante curiosidade, mas também receios.

Quase tão famoso como o Cristiano Ronaldo

A popularidade do teletrabalho é notária. Quer se goste desta modalidade de trabalho ou não, é inegável a sua popularidade crescente, não só no dia-a-dia das empresas mas também na própria comunicação social. Seja por uma perspectiva de motivação e apresentação das muitas ferramentas digitais relacionadas, seja em jeito de alerta e chamada de atenção para os perigos do isolamento, nunca como agora se falou tanto sobre o tema.

Nunca se falou, mas também nunca se pesquisou tanto sobre teletrabalho. Se utilizarmos a ferramenta Google Trends, uma plataforma da Google que permite perceber a popularidade dos termos pesquisados no motor de busca, não é difícil tirar esta conclusão. Por exemplo, se compararmos aquilo que foram as pesquisas sobre o termo “teletrabalho” de janeiro a novembro de 2019 com o mesmo período de tempo, mas no ano de 2020, as diferenças são mais que evidentes.

Imagem da plataforma Google Trends e as pesquisa por teletrabalho no ano de 2019
Pesquisas 2019 © Google Trends
Imagem da plataforma Google Trends e as pesquisa por teletrabalho no ano de 2020
Pesquisas 2020 © Google Trends

A comparação entre o volume de pesquisas pelo termo entre os dois anos, fica ainda mais interessante, ao introduzir na comparação também o termo “cristiano ronaldo”. Nada nem ninguém bate o Cristiano Ronaldo e a sua popularidade, isto já nós sabemos, mas se repararmos com atenção, veremos que aqui e ali ao longo do ano de 2020, o termo “teletrabalho” assume um maior volume de pesquisas.

Muitas vantagens mas também desafios

Quando se fala de teletrabalho, por norma o discurso tende a oscilar entre dois pólos antagónicos. É comum a conversa variar, entre os adeptos fervorosos que defendem o teletrabalho como o modelo de trabalho do futuro, ou os completos ateus que vêem o trabalho como mais uma forma de exploração dos trabalhadores.

Na realidade, um pouco como tudo na vida, o ideal estará naturalmente no equilíbrio entre estes dois hemisférios. Podendo usufruir de alguns dos benefícios deste modelo versátil de trabalho, mas sem deixar que ele monopolize todo o nosso tempo e atenção.

É bem verdade que o teletrabalho traz consigo um conjunto muito alargado de vantagens. Seja pela versatilidade na gestão do dia-a-dia que permite ou pelo maior conforto, especialmente quando mete pantufas, que trabalhar em casa pode ter. Contudo, não deixa também de ser verdadeiro, que os desafios são igualmente importantes e devem ser levados com bastante seriedade. O trabalho em excesso ou o descontrolo completo de rotinas e a baixa produtividade, são perigos reais do teletrabalho.

O tempo do trabalho e da família

Por entre os muitos desafios que o teletrabalho traz consigo, a gestão de tempo, prioridades e o equilíbrio de tudo isso com a vida familiar, é sem sombra de dúvidas um dos mais relevantes.

Teletrabalho, não pode querer dizer “trabalhar mais horas”, mas sim, “trabalhar de forma diferente”. Na prática, muitos dos desafios do teletrabalho, estão intimamente relacionados com o tempo. Seja a eficiência do tempo dedicado ao trabalho em si ou a forma como esse tempo não se sobrepõe ao tempo da família. É muito difícil falar de equilíbrio da vida familiar e profissional em teletrabalho, sem falar de alguma forma das melhores práticas do próprio teletrabalho.

Quanto mais eficiente for a gestão das tarefas em teletrabalho, mais o tempo da família sairá beneficiado. Por tanto, no final do dia, quase tudo se resume à importância do tempo, da sua eficiência e a forma como não deixamos que os vários “tempos” das nossas vidas se sobreponham uns aos outros.

Dicas práticas para o equilíbrio

Atualmente não é difícil encontrar online também estudos e guias sobre o teletrabalho e o equilíbrio saudável entre o tempo familiar e profissional. Claramente o trabalho a partir de casa, ou qualquer outro lugar, será um dos temas de futuro no mercado de trabalho. Dependendo das perspectivas, as sugestões podem ser um pouco diferentes, mas não é difícil encontrar alguns consensos.

1. Cada espaço sua função

Sempre que possível, separar os espaços físicos de trabalho e de convívio familiar pode ser uma pequena grande revolução. É comum associarmos determinados espaços da casa a determinadas ações e criar espaços físicos específicos para cada tipo de atividade é meio caminho andado para que as duas dimensões não se confundam ou se sobreponham.

2. O poder das rotinas

As rotinas são outra das ferramentas muito importantes no equilíbrio entre a vida familiar e profissional. Não deixando que a monotonia da rotina se instale, definir rotinas simples para o dia-a-dia, pode ajudar a manter a separação do tempo entre a família e o trabalho. Por rotinas, poderemos entender não só os hábitos recorrentes e convencionais do dia-a-dia, mas também aqueles momentos especiais da semana destinados a determinadas atividades, especialmente em família.

3. Planear e saber dizer “não”

Em teletrabalho é muito fácil surgirem imprevistos. Por alguma razão mágica, não é difícil que apareçam novidades relacionadas com o trabalho e isso faça com que o planeamento do dia se transforme por completo. Mais que nunca é fundamental planear bem as atividades a fazer em cada dia e principalmente saber dizer “não” a imprevistos que no momento possam parecer prioritários, mas que depois se chega à conclusão que poderiam ter ficado para outro momento.

4. Conseguir desligar por completo

O equilíbrio da vida familiar e profissional, tem também tudo que ver com o poder de desligar da azáfama do dia-a-dia. Conseguir, no tempo dedicado à família ou simplesmente a não fazer nada relacionado com o trabalho, desligar de tudo aquilo que são os desafios diários é fundamental não só para o descanso do corpo, da mente, mas principalmente para o usufruto do tempo de qualidade em família.

5. Mais que nunca, a saúde vem primeiro

Por fim, mas não menos importante, é fundamental manter hábitos saudáveis, especialmente num contexto potencialmente mais sedentário como é o teletrabalho. A manutenção de hábitos saudáveis, ou não, afeta de forma preponderante não só a nossa saúde, mas principalmente o ânimo e a boa disposição, com que possamos encarar todas as situações do quotidiano. Manter uma alimentação equilibrada, com horários específicos e realizar regularmente exercícios físicos ou simplesmente caminhadas, são hábitos fundamentais em teletrabalho.

Fotografia © Markus Spiske