Por onde começar a procurar trabalho em UX e UI?

Em muitos momentos diferentes das suas carreiras, por várias razões, muitos designers procuram novos desafios de trabalho nas áreas de user experience (UX) e user interface (UI). Seja por se estar a entrar no mercado de trabalho, querer abraçar novos desafios ou responsabilidades, mudar de cidade, trabalhar em regime remote ou qualquer outra razão, procurar trabalho é um dos processos pelo qual qualquer profissional, muitas ou poucas vezes terá que passar.

Contudo, ao contrário daquilo que se possa pensar é também um processo muito pouco linear. É por norma um processo que envolve um sem fim de variáveis, umas relacionadas com a pessoa em si outras nem por isso. Por conseguinte é importante ter consciência se torna quase impossível definir formulas infalíveis.

Diferentes tipos de desafios

O mercado de trabalho em geral na área de design mudou bastante nos últimos anos. Quem trabalha algum tempo nesta área, verá facilmente as diferenças entre o mercado que existia há dez anos atrás e o contexto atual. Na vertente digital do design, as mudanças foram ainda maiores. A começar pelo facto que até algum tempo atrás (já algum é verdade, mas o suficiente para ainda se conseguir lembrar) nem mercado de design digital existia. Os tempos hoje são outros. A vertente digital do design é por ventura uma das, se não a principal, área de recrutamento que absorver o maior número de profissionais.

Esta dinâmica imensa no mercado, para além das oportunidades de trabalho, trouxe consigo também um aumento significativo do tipo de desafios que hoje em dia o designer pode abraçar. Para lá do envolvimento no desenho de produtos e serviços digitais, os designers hoje, podem por conta de outrem ou por conta própria, abraçar uma série de oportunidades. Desde liderança e gestão de equipas, consultoria a empresas, formação de outros designers, mentoria de profissionais ou equipas, produção de conteúdos e ferramentas sobre a área, moderação de workshops, muitas são os desafios que se podem constituir como oportunidades de trabalho.

Antes de começar

Online existe um sem fim de conteúdos relacionados com truques e dicas muito úteis quando se está à procura de trabalho. Antes de se começar à procura de novas oportunidades, seria muito importante fazer nem que seja uma pesquisa rápida de alguns desses conteúdos. Quer se queira quer não, um processo de recrutamento é sempre um processo competitivo entre profissionais e por isso mesmo, quanto mais ferramentas tivermos à nossa disposição, melhor.

A somar a todo o conteúdo que se possa encontrar online sobre processos de recrutamento, existem quatro tópicos que não podem ficar esquecidos. De especial relevância quando se procura oportunidades na área do design, estes quatro pontos funcionam essencialmente como lembretes de temas para os quais qualquer profissional deve estar preparado.

Escolher bem o desafio

O primeiro ponto de todos passa por se decidir bem qual o tipo de desafio que se quer abraçar. Felizmente (ou infelizmente) o tipo de desafios que os designers podem abraçar nas áreas de UX e UI hoje em dia são imensos. A complexidade de cada área é tanta que a dada altura, poderá ser imprescindível escolher bem o que se procura.

Procuras um desafio relacionado mais com a área de UX? Com a área de UI? Com as duas em simultâneo?

É muito importante saber responder bem a estas questões, pois mais tarde ou mais cedo elas vão aparecer. Na resposta a esta pergunta, o mais importante é conseguir perceber o que se gosta mesmo de fazer. Que tipo de profissional se espera ser. Tudo se pode aprender e treinar, mas existem apetências pessoais que nos podem ser mais úteis numa ou noutra área, dependente da escolha que façamos.

Preparar o portfolio

Para além de tudo isto, é muito importante que o portfolio reflita bem o tipo de oportunidades que se procura. Se o objetivo é abraçar oportunidades na área de UX, é fundamental mostras trabalho nesse campo. Se for UI, a mesma coisa. Cada uma destas duas áreas de competência têm as suas especificidades e em muitos casos o que é procurado não é tanto a dimensão da direção de arte, mas sim, a maneira como se pensa a abordagem a um projeto, os processos que seguem, as ferramentas de research ou testing que se utilizam, etc.

Nesta altura muito provavelmente, estás a dizer a ti próprio: “Mas se nunca trabalhei em nenhum sitio, não tenho nada para mostrar.”.

Não é muito consensual, mas o facto de não se ter experiência em “projetos reais” por conta de outrem, não pode nem deve, ser razão para não se mostrar o designer que somos. Porque não escolher um problema do dia-a-dia e tentar fazer um projeto pessoal para o resolver? Desde que seja claro para quem vê o portfolio que aquele projeto teve esse contexto, esse projeto vai mostrar, tanto quanto outro qualquer, a visão particular de abordar os vários desafios. Também aqui é importante não esquecer que a quantidade não é sinónimo de quase nada. Mostrar muitos projetos no portfolio não é a mesma coisa que mostrar bons projetos. A qualidade não se mede ao metro.

Preparar o perfil (não o currículo)

Embora meio datado, o conceito de currículo tem ainda a sua utilidade nos dias de hoje. E falamos de conceito, porque na prática, continua ainda a ser necessário conseguir condensar em algum formato as várias experiências que constituem cada percurso profissional. Mas, este “currículo” não precisa já ser a tradicional folha A4 com tudo e mais alguma coisa. Pode simplesmente ser um perfil de Linkedin, a rede social mais utilizada no mundo para processos de recrutamento e não só. Um perfil que resuma o essencial de cada percurso profissional. Um perfil que possa também ir sendo atualizado em tempo real com todas as novas experiências, aprendizagens, projetos, entre muitos outros elementos relevantes.

Para além de tudo isto, o Linkedin permite, caso seja necessário, gerar um ficheiro pdf com toda a sua informação do perfil. Mas, permite uma outra coisa ainda mais relevante. Com um perfil de Linkedin, é possível que pessoas que estejam à procura de profissionais para integrar as suas equipas, encontrem potenciais candidatos. Para isso, é fundamental garantir que no teu perfil existem as palavras “UX/UI”, “UX” ou “UI”, pois são estas as palavras mais pesquisadas para recrutamento de profissionais nestas áreas de competência.

Saber falar de ti próprio

Pois é, vais ter que falar de ti próprio, a pessoas que nunca viste na vida e que te vão estar avaliar. É assim a vida. Não há volta a dar.

Por muito que isto possa ser desconfortável é muito importante que o faças bem. O que muitas vezes está em causa num processo de recrutamento para além claro da competência técnica é acima de tudo a empatia que se cria ou não com as pessoas.

Todos os profissionais têm um sem fim de histórias e experiências incríveis para partilhar (mesmo as pessoas que dizem que não têm, têm sempre) e elas contam muito sobre cada profissional. Relatos sobre projetos por conta de outrem ou pessoais, participações em equipas, experiências de voluntariado, ideias sobre um livro ou um artigo que se tenha lido, quase tudo pode ser utilizado para descrever o profissional que se é ou se pretende ser. Não é necessário parecer o profissional que não se é. Se isso for necessário para alguma oportunidade de trabalho específica, provavelmente é uma oportunidade que não interessava mesmo.

Oportunidades em Portugal

Depois de tudo pronto, agora sim, vamos à procura de oportunidades de trabalho nas áreas de user experience (UX) e user interface (UI) em Portugal. Existem atualmente muitas plataformas onde é possível descobrir um sem fim de oportunidades de vários géneros.

Atualmente uma das plataformas mais relevantes para o efeito é sem sombra de dúvidas o Linkedin. Com os filtros certos é possível encontrar oportunidades muito interessantes, principalmente nas cidades de Lisboa e Porto. Embora existam oportunidades noutros locais do país, estas duas cidades, são sem sombra de dúvidas as que reúnem o maior número de oportunidades.

Para procurar novas oportunidades de trabalho nas áreas de UX e UI, aqui fica um apanhado de algumas sugestões de consultas que poderão ajudar nesta pesquisa:

Oportunidades fora de Portugal

Para além das muitas oportunidades de trabalho que existem nos dias de hoje em Portugal, poderá a dada altura ser interessante, explorar oportunidades fora do país. Aqui o leque de opções aumenta drasticamente, proporcionalmente ao número de plataformas online que poderão ajudar nesta pesquisa.

Para facilitar a pesquisa, aqui ficam também algumas sugestões de plataformas do género, com oportunidades de trabalho espalhadas um pouco por todo o mundo:

Precisas de ajuda?

Procurar trabalho nunca é fácil. Especialmente para quem possa estar a começar a sua carreira de UX/UI designer, existem sempre muitas dúvidas. Por outro lado, é também quase impossível definir estratégias infalíveis. Se neste momento estiveres à procura de trabalho e alguma dúvida por onde começar, dentro daquilo que conseguir ajudar, envia mensagem via Linkedin e conta com mais essa ajuda.

Fotografia © Christopher Burns